Você pode usar essa coisa por horas todos os dias sem saber que ela pode fazer mal ao seu corpo!

Você já parou pra pensar em quanto tempo passa na sua cama? Para muitas pessoas, são mais de oito horas por dia. E dormir não é a única coisa que fazemos em nossas camas: assistir TV, usar o laptop ou simplesmente ficar abraçadinho com a pessoa amada são algumas das várias atividades extras para as quais as usamos. Não há outro objeto em nossos lares com o qual tenhamos tanto contato corporal.

Por isso, é realmente perturbador descobrir quantos perigos nossos colchões podem oferecer à nossa saúde. Toda vez que nos deitamos, estamos potencialmente expondo nossos corpos a produtos químicos, alérgenos, mofo, bactérias e parasitas. E muitos de nós estão em colchões que são ou muito duros ou muito moles. Quando os efeitos desses riscos aparecem, frequentemente não os associamos à causa real, que é provavelmente o colchão, no qual passamos quase 1/3 de nossas vidas.

1. Bactérias e vírus 

Colchões velhos podem ser incubadoras para bactérias e mofo. Um estudo mostrou que muitos colchões velhos contêm enterococos, estafilococos, norovírus e mesmo staphylococcus aureus resistente à meticilina (SARM). Essas bactérias podem causar infecções sérias em humanos, das quais muitas são resistentes a antibióticos! A regra geral é comprar um novo colchão a cada sete anos.

2. Ácaro

Você sabia que um colchão comum contém entre 100 mil e 1,5 milhão de ácaros? Essas criaturinhas amam o ambiente quente e úmido entre os lençóis e se alimentam de pedacinhos de pele que as pessoas perdem todos os dias. Os ácaros em si não são perigosos para os humanos, mas algumas pessoas são alérgicas às suas fezes. Isso pode ser especialmente perigoso para asmáticos, e pode causar sérias dificuldades para respirar. Para reduzir o acúmulo de ácaros no seu colchão, aspire-o regularmente com um aspirador de filtro HEPA (High Efficiency Particulate Air Filter).

3. Piolhos

Outro colega de cama indesejado é o piolho. Se você acorda e nota que tem pequenas mordidas e áreas vermelhas pelo corpo, você pode estar com piolhos no colchão.

4. Percevejos (Cimicidae) 

Cimicidaes são criaturinhas que gostam de se acomodar nas camas das pessoas, mas você provavelmente as conhece por seu nome comum: percevejos. A boas notícia é que eles não carregam doenças, mas isso não significa que não farão sua vida ser desconfortável. Se infestarem seu colchão, essas pestes marrom-avermelhadas de 1mm vão te morder cerca de 500 vezes por noite! As mordidas podem coçar bastante e até causar eczema. Borrifar álcool de cozinha diluído pode ajudar a se livrar deles.

Various bed bug nymphs and adults

5. Substâncias químicas tóxicas

Hoje em dia, a maioria dos colchões vêm da fábrica com revestimento ignífugo. Isso pode ser bom para prevenir um incêndio, mas os agentes químicos usados nele são potencialmente perigosos, incluindo substâncias como formaldeído, ácido borácico e ácido modacrílico. Esses produtos podem causar alergias e também há evidências de que eles podem causar câncer. O formaldeído também é conhecido por causar tosse e dores no peito.

Com o tempo, as substâncias químicas ignífugas também podem produzir vapores perigosos quando se quebram ou reagem com outras substâncias químicas no colchão.

Ainda que a maioria das autoridades sanitárias considere aceitável a quantidade de químicos usadas em colchões comuns, se você prefere se garantir, experimente investir em um orgânico. A maioria dos fabricantes também garantem máxima proteção contra fogo.

6. Mofo

Pessoas que gostam de bastante ar fresco quando dormem, frequentemente deixam as janelas levemente abertas, mesmo no inverno. Mas isso pode levar a problemas quando o ar condensa na parte de baixo do colchão. Essa umidade, quando combinada com o ambiente escuro, é o local perfeito para que o mofo cresça. Esporos do mofo podem causar dores de cabeça, tosse e ataques de asma. Para evitar isso, areje o colchão regularmente e certifique-se de mantê-lo o mais seco possível. Se você encontrar mofo no colchão, a única solução é comprar um novo.

7. Colchões de espuma

Colchões de espuma de memória estão se tornando muito populares. No entanto, o problema é a espuma de poliuretano que permite que o colchão “memorize” o formato do seu corpo, que é cheia de substâncias químicas. Em vários países, fabricantes não são obrigados a listar todos os materiais utilizados para fazer esses colchões, o que pode incluir coisas como metilbenzina. Esse tipo de químico é um potencial perigo à saúde que muitos consumidores desconhecem. Ele pode causar danos sérios ao sistema nervoso, levando a tonturas, dores de cabeça e até perda de consciência.

Como você pode ver, colchões não são tão inofensivos quanto parecem, mas escolher o certo e tomar conta dele devidamente pode reduzir drasticamente os riscos à saúde. Da próxima vez que for comprar um novo, certifique-se de que ele tem um bom apoio, ou seja, mais firme na parte mais baixa para manter quadril e pernas nivelados, e um pouco mais macio na parte de cima, para permitir que o peso da sua massa afunde levemente. Afinal, com todos esses problemas acima para lidar, você não vai querer ter problemas nas costas para se preocupar também, certo?

Fonte: cuide-se

Compartilhe a matéria:

Deixe uma resposta