0

Depois de preso, o criador do jogo de suicídio ‘Baleia Azul’ revela o porquê fez o jogo

O criador do jogo “Baleia Azul”, o russo Philipp Budeikin, de 21 anos, foi finalmente preso pela polícia. Porém, sua explicação para ter cometido esse crime, é o que mais choca a todos.

O jovem falou para as autoridades, com muita frieza, que influenciou 16 meninas a cometerem suicídio por causa do jogo.  Ele disse que as meninas estavam felizes jogando e que ele dava a elas calor, compreensão e conexões. Na opinião dele, suas vítimas queriam morrer e ele apenas proporcionava isso para elas.

Budeikin afirmou também que “existem pessoas e existem resíduos biológicos – e explicou que essas pessoas não têm nenhum valor para a sociedade e que causam danos a elas. Ele diz: “Eu estava limpando nossa sociedade dessas pessoas”. O acusado confessou que já fazia cinco anos que tinha a ideia de criar esse jogo para distinguir pessoas normais dos lixo biológicos.

Uma coisa que chama bastante a atenção, é que mesmo preso, o dono do crime recebe várias cartas de amor enviadas por jovens que o seguia.  “Provavelmente, as adolescentes que se apaixonaram por Philip Lis (outro nome que ele era reconhecido) não estavam recebendo amor e atenção de seus pais, e esse jovem bonito da internet forneceu um certo apoio para elas e deu a atenção que precisavam”, disse a psicóloga Veronica Matyushina.

Budeikin começou em 2013 e com o passar do tempo só melhorou suas táticas. Seu objetivo era atrair o máximo de adolescentes possível e depois encontrar o seu público alvo, que chegaria até o fim do jogo.

 

Que essa história fique como um alerta, para que todos pais e mães fiquem atentos ao que seus filhos fazem na internet e com quem eles relacionam.

 

Imagem e mensagem

Deixe uma resposta