0

Menino morre após pai usar compressa de álcool para baixar febra. Entenda os riscos do procedimento

Álcool industrial e crianças é uma combinação que não tende a dar certo. Se para nós, adultos, o uso do forte produto já deve ser realizado com todo o cuidado, então imagine para os pequenos. A falta de atenção pode acabar resultando em uma tragédia, como a que marcou um caso ocorrido na cidade de Donnguan, China.

Para tentar controlar a febre do filho, Xiao Dong, de apenas dois anos, o pai da criança apelou para um método não muito comum. A fim de não procurar um médico e resolver o problema por conta própria, o chinês usou uma compressa de álcool nas axilas do bebê na esperança de que a temperatura baixasse.

Crying baby boy taking bath to cool down

Contudo, não tardou para que logo a “solução” se tornasse um sério problema. Dong desmaiou. Assim, finalmente, os pais resolveram levá-lo para o hospital.

No centro hospitalar, os médicos fizeram o possível para salvar a vida do garotinho, mas não houve nada que pudesse ser feito. No dia seguinte, Dong acabou falecendo devido intoxicação causada pelo metanol.

De acordo com o médico que lidou com o caso, o Dr. Ma Weike, os pais não faziam ideia de que a morte do filho foi causada por efeito do álcool – o pai usou uma dose de 1 litro para tentar diminuir a temperatura da criança. Para eles, a perda de consciência foi causada pela febre.

O professor de pediatria da Faculdade da Santa Casa de São Paulo, Marco Aurélio Safadi, afirma que no caso de Xiao Dong, é difícil saber com exatidão qual o tamanho da contribuição do álcool na morte do bebê, porém, ele ressalta que a prática adotada pelo pai não deve ser seguida.

“Infelizmente, ainda existem muitos pais que acreditam que a compressa de álcool baixa a febre. No entanto, é um procedimento que traz riscos e não deve ser feito. Pode causar queimaduras na pele na criança e, como o álcool é volátil, pode ser inalado e intoxicar a criança. Esses efeitos contraindicam formalmente essa prática”, afirma Safadi.

O especialista acrescenta que da mesma forma que a compressa representa um sério perigo, banhos frios com álcool também devem ser prontamente evitados, pois podem até fazer com que a febre piore e a temperatura corporal se eleve ainda mais.

“Febre não é um bicho de sete cabeças, mas caso haja necessidade de uma intervenção, até que o antitérmico aja, a mãe pode lançar mão do banho, mas um banho morno, que não gere desconforto na criança. Álcool, é bom salientar, é contraindicado e não baixa a febre”, explica o professor de pediatria.

Anne Lima, enfermeira especializada em medicina antroposófica (prática que envolve tratamentos homeopáticos, terapias físicas e arteterapia) afirma que o uso de compressas de limão nas pernas é um caminho bastante eficaz no controle da temperatura do corpo.

Para seguir a dica dada por Anne, basta realizar o seguinte procedimento:

1. Esprema o suco do limão em uma tigela ou bacia com água fria (de preferência, mantenha uma das metades do limão dentro do recipiente e esprema apenas a outra metade);2. Enrole duas toalhas de algodão (toalhas turcas) ou duas faixas como ataduras e coloque dentro do recipiente;3. Torça levemente as toalhas e as envolva nas pernas, abaixo da linha do joelho até os pés – não faça isso com os pés muito gelados, tente esquentá-los um pouco antes de proceder;4. Mantenha as toalhas – ou as faixas – até perceber, com o toque, que elas aqueceram. Isso demonstra que elas estão deslocando o calor para a região que elas devem predominar, não deixando que se espalhe pelo corpo.5. Repita o procedimento quantas vezes for necessário, lembrando sempre de renovar a água e o limão.

E lembre-se: problemas com febre? O álcool não é a melhor solução. Principalmente no que envolver uma criança.

Compartilhe a matéria:

Imagem e mensagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *