0

Pela última vez, este menino de 4 anos abriu seus olhos e disse quatro palavras. Ninguém conseguiu seguras as lágrimas.

Ruth Scully, de Maryland (EUA), teve que enfrentar um dos piores pesadelos de uma mãe. Tudo começou quando seu filho Nolan, de 2 anos, não conseguia se recuperar de um nariz entupido. No começo, eles pensaram que fosse apenas uma gripe, mas a situação só piorou até que ele mal conseguisse respirar. Então, uma tomografia computadorizada revelou a verdade terrível: Nolan, agora com 3 anos, tinha rabdomiossarcoma, um tipo agressivo e raro de câncer.


Logo ficou claro que os dias de Nolan estavam contados. Ele lutou bravamente, mas em vão. Depois de um ano e meio, Nolan morreu nos braços de sua mãe. Durante seu sofrimento para lidar com a perda, ela compartilhou sua tristeza em um post emocionante no Facebook. Ela descreveu as últimas horas depois da equipe médica explicar o quão ruim era a situação:

“A rabdomiossarcoma alveolar estava se espalhando como fogo. Desta vez, ela explicou que não sentia que o câncer fosse tratável, uma vez que tinha se tornado resistente a todas as opções de tratamento que tentamos, e o plano seria mantê-lo confortável, já que ele estava piorando rapidamente.

Depois de um tempo, eu me recompus e fui ao quarto de Nolan. Ele estava sentado na cadeira vendo YouTube em seu tablet. Eu me sentei com ele, apoiei minha cabeça contra a dele e tive a seguinte conversa:

Eu: Querido, dói respirar, não é?
Nolan: Beeem… sim.
Eu: Você está em muita dor, não está, amor?
Nolan: (olhando para baix0) Sim.
Eu: Querido, esse câncer é uma droga. Você não precisa mais lutar.
Nolan: (em pura alegria) NÃO??!! Mas eu farei isso por você, mamãe!!
Eu: Não, querido!! É isso o que você tem feito?? Lutado pela mamãe??
Nolan: Claro, né?
Eu: Nolan Ray, qual é o trabalho da mamãe?
Nolan: Me manter SEGURO! (com um grande sorriso)
Eu: Amor… Eu não consigo mais fazer isso aqui. A única maneira de te manter seguro é no céu. (meu coração se quebrando em pedaços)
Nolan: Entããoo, eu vou para o céu brincar até você chegar! Você vem, certo?
Eu: Claro!! Você não vai se livrar da mamãe assim tão fácil!!
Nolan: Obrigado, mamãe!!! Eu vou brincar com Hunter, Brylee e Henry!!

No dia seguinte, ele estava descansando, assim como dormiu na maior parte dos dias seguintes. Ele tinha todos os cuidados paliativos a postos, seus medicamentos intravenosos e até a ordem de não ressuscitar assinada (eu não consigo explicar como é assinar a ordem de não ressuscitar do seu anjinho). Quando ele acordou, nós tínhamos arrumado tudo e eu tinha os seus sapatos em minhas mãos para que pudéssemos levá-lo para casa à noite. Nós só queríamos mais UMA noite juntos. Mas quando acordou, ele colocou gentilmente a sua mão na minha e disse: ‘Mamãe, está tudo bem. Vamos ficar aqui, ok?’ Meu pequeno herói de 4 anos estava tentando se certificar de que as coisas seriam fáceis para mim…

Lá pelas 21h, eu perguntei a Nolan se poderia entrar no banho, já que eu não podia deixá-lo e a mamãe tinha que ficar tocando nele toda hora. Ele disse: “Humm… tudo bem, mamãe. Diga para o tio Chris se sentar comigo e eu vou me virar para este lado, assim eu posso te ver.’ Eu parei na porta do banheiro, me virei para ele e disse: ‘Continue olhando bem para cá, querido. Eu vou sair em dois segundos.’ Ele sorriu para mim. Eu fechei a porta do banheiro. Eles disseram que, no momento em que tranquei a porta, ele fechou seus olhos e entrou em sono profundo, iniciando o fim de sua passagem para o outro lado.

Quando eu abri a porta do banheiro, a equipe médica estava em volta de sua cama e todos se viraram e me olharam com lágrimas nos olhos. Eles disseram: ‘Ruth, ele está em sono profundo. Ele não consegue sentir nada.’ Era extremante difícil para ele respirar, seu pulmão direito tinha entrado em colapso e seu oxigênio caiu.

Eu corri, pulei em sua cama e coloquei minha mão no lado direito de seu rosto. Então, um milagre inesquecível aconteceu…

Meu anjo respirou fundo, abriu seus olhos, sorriu para mim e disse: ‘Eu te amo, mamãe.’ Ele virou sua cabeça e, às 23:54, ele faleceu enquanto eu cantava ‘You Are My Sunshine’ em seu ouvido.

Ele acordou de um coma para dizer que me amava, com um sorriso em seu rosto!”

Essa experiência emocionante tocou os corações de pessoas de todo o mundo. Essa história mostra por que mães chamam seus pequenos de “anjos”. Crianças têm dons escondidos e corações enormes.

Ruth foi tão corajosa em compartilhar esses momentos de sua grande perda de seu lindo garotinho e do amor incrível entre uma mãe e seu filho.

Compartilhe:

Imagem e mensagem

Deixe uma resposta