0

Depois de você saber esta informação, nunca mais usará o celular no banheiro – Veja na íntegra

Se antigamente as pessoas levavam um jornal para o banheiro, agora é o celular.

Elas tiram aqueles minutos que ficam sentadas no vaso sanitário para navegar em redes sociais.

E é exatamente sobre isso que viemos falar neste post.

O primeiro ponto negativo, se você está trabalhando ou estudando, é o tempo que perde quando leva o aparelho para o banheiro.

Demoramos pelo menos dez vezes mais para sair dele, do que se fôssemos sem nada em mãos.

Por outro lado, se você quer desopilar ou agilizar algumas coisas, como ler ou responder mensagens, então pode até tirar proveito do celular.

O problema é que essa prática é bastante anti-higiênica.

Quem explica bem isso são os especialistas em germes Charles Gerba, que é Ph.D. em microbiologia, e Kelly Reynolds, Ph.D em saúde ambiental na Universidade do Arizona.

Os sanitários, principalmente os públicos, são cheios de germes e bactérias, além de matéria fecal, ou seja, cocô.

As áreas mais contaminadas são as descargas, a torneira e o chão.

Um estudo revelou que as bolsas das mulheres contêm matéria fecal apenas por terem sido colocadas no chão do banheiro.

Adianta lavar a mão quando, em seguida, tem que tocar na torneira ou na maçaneta da porta? – elas também estão contaminadas.

Lógico que o risco depende de cada banheiro e se ele foi higienizado recentemente ou não.

Você sabia que quando dá descarga a água suja do vaso sanitário, que pode contar urina ou fezes, é pulverizada para todos os lados, numa altura de até dois metros? – isso inclui o suporte de papel higiênico, onde muita gente costuma apoiar o celular.

Isso acontece sempre que alguém der uma descarga.

Já deu para imaginar como um banheiro público é contaminado, não é?

E tem mais!

O celular recebe todos os germes da última coisa que encostou por lá.

Pode ser papel higiênico sujo, absorvente usados ou muitas outras coisas que nunca saberemos.

A variedade de doenças que podemos pegar com isso é tão grande que fica difícil contabilizar.

Você pode incluir alguns problemas, como: conjuntivite, hepatite, salmonela, infecções respiratórias…

Basta suas mãos contaminadas entrarem em conto com o rosto, olhos, nariz ou boca.

O ideal é lavar as mãos e arrume um jeito de sair do banheiro sem contaminá-las outra vez.

Agora reflita sobre isso: seu celular é a extensão de suas mãos, a diferença é que ele nunca é higienizado depois que você sai do sanitário.

Não tem como fugir!

 Os germes que tocaram no seu aparelho vão direto para seu alimento, através das suas mãos.

A Universidade do Arizona publicou um estudo que mostra que nove em cada dez aparelhos tinham micróbios que podem causar doenças graves.

Além disso, 16% desses celulares contêm matéria fecal. Isso é assustador, não é?

O celular é literalmente um portador de germe móvel – isso poderia ser engraçado, se não fosse trágico.

Ah, antes de encerrar este post, é bom lembrar que muita gente tem o costume de colocar o aparelho dentro de um pote de arroz quando ele cai no vaso sanitário.

Essa técnica é famosa para eliminar a umidade do celular e fazê-lo funcionar outra vez.

O problema é que as pessoas esquecem o quanto de matéria fecal fica nas menores partes do aparelho.

Para limpá-lo, uma dica boa é umedecer um pedaço de pano que não solte fiapos numa solução com álcool diluído em água (mais álcool do que água) e passar no celular.

Se tiver que colocar o aparelho no suporte de papel higiênico, lembre-se de cobrir com o papel para que não haja contato direto dos germes com a superfície.

Compartilhe a matéria:

É Notícia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *