0

CRIME: Mãe de Pedrinho é presa no Parque Ribeirão

Kátia Marques estava escondida em uma casa 

e será levada à cadeia de Cajuru

Kátia Marques, mãe do menino Pedro Henrique Marques Rodrigues, foi presa na noite desta terça-feira (1º) em Ribeirão Preto.
Após denúncia anônima, os policiais encontram Kátia escondida em uma casa no Parque Ribeirão. Ela foi levada para o Central de Flagrantes e será encaminhada, na manhã desta quarta-feira (2), para a Cadeia Pública de Cajuru.
Ela e Juliano Aparecido Gunello, padrasto do menino e preso em 19 de fevereiro, haviam sido condenados, em 2010, pela morte de Pedrinho em 2008.
Em primeira instância, Kátia e Juliano foram condenados por maus-tratos – ambos receberam a pena de 7 anos de prisão em regime semiaberto. Em segunda instância, no entanto, o casal foi condenado por tortura. Juliano pegou 10 anos, 10 meses e 10 dias de reclusão e Kátia, 9 anos, 8 meses e 20 dias de prisão em regime fechado.
Entenda o caso
Pedrinho morreu no dia 12 de junho de 2008 em razão de uma embolia gordurosa pulmonar causada, de acordo com os peritos, por politraumatismos. Ele tinha 5 anos. O exame necroscópico atestou a existência de, no mínimo, 65 hematomas, cinco escoriações, duas feridas contusas, fraturas em duas costelas e no punho direito, além de lesões no olho, no crânio e no tórax.
Na ocasião, Juliano e Kátia disseram que o menino havia ingerido um produto destinado a combater a ferrugem. A perícia, entretanto, constatou que a embolia teve origem “nas fraturas dos ossos do punho direito, assim como no extenso traumatismo dos tecidos subcutâneos consequentes às múltiplas contusões no corpo da vítima”.
Conforme a denúncia do Ministério Público, Juliano submetia Pedrinho a tratamento físico desumano, mediante agressões múltiplas e graves. Kátia, por sua vez, consentia as agressões, privando, inclusive, o filho de alimentação algumas vezes e abandonando o menino na área comum do condomínio em que moravam, no Parque dos Lagos, zona Leste. (Com Ícaro Ferracini)

Compartilhe a matéria:

Imagem e mensagem

0 Comments

  1. sou a favor de cada um pagar pelo mal que fez, do mesmo modo que fez…..torturou até matar, seja torturado até matar…., matou seja morto. roubou, corte as mãos…..e assim por diante

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *