0

Náufrago chega a Santos após 54 dias à deriva no oceano: ‘Pensei na morte’

Pescador de 52 anos saiu de Cabo Verde, 

na África, para pescar em ilha.
Africano diz que foi ignorado por 15 navios 

que não prestaram socorro.

Um pescador natural de Cabo Verde, na África, ficou 54 dias à deriva no Oceano Atlântico até ser resgatado por um navio que vinha dos Estados Unidos e seguia para o Porto de Santos, no litoral de São Paulo. A embarcação que socorreu o homem atracou no cais santista nesta quarta-feira (2). O náugrafo conversou com a reportagem do G1 e contou como sobreviveu tanto tempo sozinho em alto mar.
Juvenal Ferreira Mendes, de 52 anos, conta que saiu de casa sozinho no dia 2 de outubro para pescar. Ele diz que foi vítima de uma tempestade que o tirou da rota inicial. “Estive na ilha Boa Vista, em Cabo Verde, durante dois dias para pescar. E, na volta, ja passava de cinco horas de viagem e eu vi o mau tempo. O vento rasgou a vela, era chuva, era uma coisa enorme, tristeza mesmo. Eu continuava a andar e vi que tinha saído do rumo. A gasolina acabou. Sobrevivi com peixe e água, quando tinha chuva”, conta ele.
Mendes diz que mais de 15 navios se aproximaram dele. Ele acenava mas ninguém o resgatava. “Eu pensava na morte. Uma semana, duas, três semanas em alto mar, sozinho, era muito para mim”, fala. O africano passou o aniversário de 52 anos em alto mar. Mas ele diz que não tinha noção de datas e nem do dia da semana.
No último dia 18 de novembro, porém, o navio Ouro do Brasil, de bandeira libanesa, aproximou-se do pequeno barco do africano. O capitão do navio, o alemão Uwe Hansen, conta que saiu do Porto Manatee, na Flórida, para carregar o navio com suco de laranja no Porto de Santos. Durante a rota, a cerca de 300 km da costa brasileira, entre os estados de Amapá e Pará, um dos tripulantes avistou o pequeno barco, de cerca de 9 metros de comprimento.

O capitão conta que o navio chegou mais perto da embarcação e que foi possível observar um homem acenando com uma espécie de vela. O capitão mandou os tripulantes lançarem o barco de resgate e eles conseguiram socorrer o homem, assim como os objetos pessoais dele.
Mendes estava debilitado quando chegou no navio e recebeu todo o atendimento dos tripulantes. Além disso, o capitão, depois que teve conhecimento de que o náufrago era católico, lhe deu uma bíblia de presente. “Foi um milagre mesmo. Estou sem palavras. Que Deus ajude esse Capitão. Graças a ele estou vivo. Foi Deus que mandou aquele barco para mim”, disse Mendes.
O navio atracou no Porto de Santos na tarde desta quarta-feira. O náufrago teve que sair da embarcação para prestar depoimento para a Capitania dos Portos como parte de um inquérito administrativo. Ele tambem ficarà sob resposabilidade da agência marítima e da Polícia Federal para poder retornar ao pais de origem. “Eu só quero ir para a minha casa, ver os meus filhos e a minha mulher. Tenho muita saudade deles. É um milagre mesmo”, falou.

Compartilhe a matéria:

Imagem e mensagem

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *